Obesidade

Controlo de peso

Considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a epidemia do séc. XXI, a obesidade está na senda de todas as preocupações. Este é um problema de saúde que consiste na excessiva e patológica acumulação de gordura no organismo e que resulta num excesso de peso em comparação com a altura (IMC).

 

Para a OMS, diz-se que há excesso de peso quando o IMC é igual ou superior a 25, sendo a obesidade visível quando o IMC é igual ou superior a 30.

 

A obesidade é não apenas um problema estético como também psicológico sendo, inevitavelmente, um risco para a saúde. Sempre que se ingerem mais calorias do que as que se conseguem gastar, estas transformam-se em gordura.

 

Mas este é um facto com consequências negativas para o organismo, sendo a obesidade responsável pelo aparecimento da diabetes bem como de problemas respiratórios. Do mesmo modo, ossos e músculos são afetados pelo esforço que o excesso de peso exige, sendo que a obesidade influencia grandemente o sistema cardiovascular. O que acontece muitas vezes, é que a gordura presente no sangue é depositada nas artérias prejudicando o sistema cardiovascular. Podem também ocorrer infeções cutâneas pela ação do suor e das dobras existentes na pele.

 

Nas mulheres, a obesidade pode suscitar problemas ao nível do sistema reprodutor e mesmo reduzir a expectativa de vida, para além da diabetes, doenças cardíacas, artrite e derrames cerebrais.

 

A obesidade surge também muitas vezes associada a situações de depressão, consequência do stress que causou transtorno nos hábitos alimentares.

 

Os médicos aconselham à adoção de uma dieta e exercício físico e, em situações graves, fazer uma cirurgia para reduzir a capacidade física do estômago. Deve-se também controlar a quantidade e o tipo de alimentos ingeridos reduzindo as suas doses, sendo o apoio da família igualmente importante.